Luanda - A Comissão Sindical da transportadora aérea angolana TAAG está preocupada com o futuro dos trabalhadores da companhia de bandeira, na sequência da parceria de gestão feita entre a empresa e a Emirates, companhia aérea dos Emiratos Árabes Unidos, informou a Rádio Nacional de Angola (RNA).

A Comissão Sindical e os trabalhadores reuniram-se na última sexta-feira (8) com a administração da empresa e com o ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomas, para obterem esclarecimentos.

O coordenador adjunto do Bureau Sindical da TAAG, Rogério Damião, disse que o processo de gestão da Emirates está em curso, mas possuem poucas informações, por esta razão pretendem saber do futuro dos trabalhadores.

"Sabe-se que sempre que há uma cooperação de duas ou mais companhias, o processo mexe sempre com o futuro dos trabalhadores e é isso que nós queremos saber. Para onde vão e o que será feito", salientou. 

Segundo o ministro Augusto da Silva Tomas o que se pretende com esta parceria é dotar a companhia aérea angolana de uma gestão de nível internacional e minimizar os problemas provenientes do passado.

"Libertando-a de problemas de eficácia e eficiência que vêem persistindo há longos anos, permitir uma transferência de conhecimentos e boas práticas da Emirates para a TAAG, a todos os níveis, contribuindo para a formação e potenciação dos gestores e técnicos da companhia aérea angolana", referiu.

Quanto aos trabalhadores da TAAG, o ministro garantiu que não há intenção alguma de despedi-los. Augusto Tomas assegurou que "o que se pretende é a rentabilização do investimento efectuado na companhia, uma vez que a TAAG é uma peça importante, na estratégia de internacionalização da economia angolana".

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription